Subscribe Now

* You will receive the latest news and updates on your favorite celebrities!

Trending News

Economia compartilhada: o que é e como aproveitar essa tendência?
Dicas

Economia compartilhada: o que é e como aproveitar essa tendência?

As tecnologias evoluem e com elas o mundo se modifica. Com isso, os comportamentos e modos de pensar da sociedade também se transformam. O que está acontecendo nos últimos tempos é uma amostra disso, e a economia compartilhada é um exemplo claro dessa mudança.

As formas de consumo estão se transformando e o que seria impensável para muitas pessoas alguns anos atrás tem se tornado algo bastante comum com a economia colaborativa. Ela diz respeito ao compartilhamento dos mais diversos bens, mas sem retirar direitos de quem as possui.

Para esclarecer todas as suas dúvidas, acompanhe a leitura para entender o funcionamento desse modelo de consumo que só cresce!

O que é a economia compartilhada?

Esse conceito diz respeito à partilha de bens e serviços de forma eficiente e sustentável. O compartilhamento pode ser feito desde pequenos itens e serviços até mesmo a divisão de imóveis. O mercado tem crescido e investido nesse tipo de economia colaborativa, que tem excelentes resultados para além da questão financeira.

Em outras palavras, é uma forma de otimização em que você consegue fazer mais com menos, pois há um esforço conjunto de pessoas que desejam usufruir de vantagens, assim como você. Assim, cada um faz um pouco para que todos desfrutem dos benefícios. E fica ainda melhor quando se trata de bens e serviços que têm alto custo.

Como funciona esse tipo de compartilhamento?

A economia compartilhada é quando mais de uma pessoa adquire produtos, bens e serviços juntas, o que garante que cada uma delas terão direitos iguais e poderão utilizar algo dividindo os custos; ou podem ser aluguéis e trocas espontâneas. A contribuição colaborativa é uma maneira inteligente para otimizar recursos e para mais pessoas.

A grande vantagem é que todos saem ganhando, pois o foco está em aproveitar os recursos, não apenas em possuir e ser dono de algo. Em alguns tipos de compartilhamento, há uma pessoa que oferece uma vantagem e uma outra que será beneficiada. Porém, isso ocorre com custos mais baixos sem que nenhuma das partes saiam perdendo, muito pelo contrário, ambas saem ganhando e ficam mais satisfeitas.

Quais os benefícios de adotá-la?

Uma das bases da economia colaborativa está na sustentabilidade, que possui três pilares de apoio: social, econômico e ambiental. Isso quer dizer que ela visa um benefício social que gere economia e respeito à natureza e dos recursos naturais provenientes dela. Ou seja, um consumo muito mais consciente e racional do que o consumismo desenfreado que estava acontecendo nas última décadas.

Essa consciência social fez surgir muitas empresas que adotam esses pilares e que têm se tornado fenômenos no mundo inteiro. A mentalidade de compartilhamento agrega valor e facilita o acesso à bens que nem passavam na cabeça de muitas pessoas, como adquirir um imóvel de veraneio para passar as férias com a família.

Conheça mais sobre os benefícios que a economia compartilhada pode trazer para você:

Redução de custo

Essa é uma das principais vantagens e que mais atrai pessoas que ainda não estão tão familiarizadas com esse conceito. Os gastos abaixo do que seria normal se fossem compras individuais se torna um grande atrativo. Afinal, quem não gosta de economizar, não é?

Usando como exemplo um imóvel, se adquirido de forma compartilhada, todos os custos envolvidos são diluídos entre os proprietários. Contudo, a vantagem é que podem usufruir de forma igual, pagando pelo período em que você utiliza.

Diversidade de opções

Mas isso não é exclusivo para imóveis. Há uma infinidade de produtos e serviços que já fazem uso da economia compartilhada e talvez você nem tenha percebido, como a Uber. Esses serviços surgem para suprir demandas existentes e facilitam a vida de seus usuários. Não é à toa a tendência de crescimento desse modelo coletivo.

Sustentabilidade

Esse é um dos pilares do conceito e diz muito a respeito da economia compartilhada. O consumo colaborativo ajuda na diminuição de desperdícios de bens que poderiam ficar ociosos, mas que acabam beneficiando um maior número de pessoas que também poderiam comprar o mesmo produto sem utilizá-lo com frequência.

Assim, quanto mais pessoas usam o mesmo produto, mais o meio ambiente agradece, pois é gerado menos lixo e poluição. Os danos ambientais que temos visto nas últimas décadas demonstram que essa mudança de comportamento é urgente, e ações como o compartilhamento são um grande passo.

Quais empresas já adotam a economia compartilhada?

Com certeza você já ouviu de muitas empresas de economia compartilhada e provavelmente já até utilizou esses serviços. Eles já fazem parte do cotidiano e continuam a crescer diariamente, com mais gente aderindo ao estilo coletivo.

Confira exemplos de empresas de economia compartilhada:

Uber

Basta baixar um aplicativo, adicionar endereços e uma pessoa que você nem conhece buscará você e levará ao seu destino. Décadas atrás isso seria uma grande loucura, mas agora é um dos meios de transporte mais utilizados. A Uber trabalha com o transporte de pessoas sem possuir um carro sequer, tudo é feito no compartilhamento de pessoas para pessoas, em que todos saem ganhando.

Airbnb

O Airbnb é um serviço de hospedagem online em que os usuários dispõem seus lares para aluguel como se fossem hotéis. Seja apenas um quarto ou o imóvel inteiro, é possível conseguir se hospedar em acomodações com preços acessíveis em qualquer parte do mundo. E, assim como a Uber, o Airbnb não possui propriedades, tudo é feito entre os hospedeiros e clientes por meio da plataforma.

Magic Home

Já pensou em ter uma casa de férias pagando pouco? A Magic Home é a solução perfeita para você. Trata-se de uma multipropriedade que surgiu da parceria do Parque Magic City com a WAM Brasil que oferece imóveis de propriedade compartilhada, em que você e outros donos dividem as despesas e adquirem a casa com parcelas acessíveis. Cada um dos proprietários têm direito a uma parte da escritura do imóvel e todos aproveitam de sua fração como desejar, podendo curtir com a família, alugar ou que você desejar.

Com relações de confiança entre fornecedores e usuários, a economia compartilhada mostra sua potência com seu crescimento frente ao consumo tradicional de bens e serviços. É uma revolução que só traz benefícios para todos os envolvidos e agrega valor, aumentando a qualidade de vida.

Quer saber mais como funciona esse novo modelo? Entre em contato e conheça mais sobre a Magic Home e a economia compartilhada!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *